maio 20, 2024

012 News | A Notícia a Um Clique de Você.

O conceito da 012 News é informar e entreter nossos telespectadores e ouvinte.

Pindamonhangaba lança cartilha ‘Cozinha Saudável’ hoje (15)

cozinha saudável-capa
Foto: Reprodução/ Agência Brasil

Nesta quarta-feira (15), acontece o lançamento da cartilha Cozinha Saudável, da Prefeitura de Pindamonhangaba. O lançamento acontece às 14h, no Centro de Práticas Integrativas e Complementares (Cip), localizado na rua José Luiz Cembranelli, nº 1.005, Parque das Nações.

Esta é a terceira cartilha, resultado do programa Roda de Saberes em Alimentação Saudável (ROSA). A Cozinha Saudável iniciou, em 2006, em formato de oficinas de aprendizado e trocas de saberes sobre receitas e plantas.

As oficinas aconteciam uma vez por semana e buscavam capacitar as unidades de saúde, escolas e outras instituições, na utilização de alimentos saudáveis, reaproveitamento de alimentos e, principalmente, a utilização das Pancs (plantas alimentícias não convencionais). Além de resgatar a cultura e a sabedoria popular.

“A Cozinha Saudável surgiu pela necessidade de ensinar a população a consumir alimentos saudáveis, de baixo custo e alto valor nutricional”, explica a coordenadora das práticas de alimentação saudável do Cpic, Denize Napier Pereira.

A criação das cartilhas

A ROSA (Roda de Saberes em Alimentação Saudável) apresenta mensalmente, desde 2017, uma planta (panc) e o modo de plantar, época de plantio, colheita e benefícios dessa planta na alimentação. Em todos os encontros é possível provar o prato que utiliza essas plantas.

A partir dessas experiências, a ideia de criar uma cartilha para catalogar as receitas utilizadas ao longo desses anos de promoção de uma vida mais saudável surgiu no fim de 2020. As duas primeiras, da Cozinha Saudável, foram baseadas em temas sobre aproveitamento integral dos alimentos, como cascas, sementes, folhas, flores e talos.

“Surgiu a necessidade de colocar essas plantas e receitas em uma cartilha para podermos ter material para distribuir e poder trabalhar de forma mais interativa e as pessoas levarem para casa a cartilha e poder ter esse material sempre à mão”, informa Napier.

A coordenadora Denize Napier comemorou o sucesso do projeto. “Mostramos o valor nutricional e funcional dos alimentos, muitas vezes desconhecidos pela população. É um trabalho muito gratificante e resgata o uso das plantas não convencionais, proporcionando benefícios à população e ao meio ambiente”, completa.